sexta-feira, 30 de abril de 2010

ter sido testemunha de jeová ensinou-me muita coisa

ter sido testemunha de jeová ensinou-me muita coisa
especialmente a querer que os meus filhos escolham aquilo que o seu coração diz ser verdade
ter sido testemunha de jeová foi uma experiência dolorosa estéril em muitos sentidos para mim
perturbadora
inibidora
ter sido testemunha de jeová não me deu de comer mas tirou-me muitas noites de verdadeira liberdade, daquela a que todos os humanos têm direito, ficar sentada num sofá a ver a passagem das imagens na t.v.
ou, simplesmente ficar onde me apetecia ficar
sossegada
ser testemunha de jeová não fez nada por mim
-o que fiz eu pelas testemunhas de jeová?
mais do que alguma vez seria capaz de imaginar fazer por algo..

sair da seita das testemunhas de jeová é um trabalho que jamais termina
principalmente se a entrada foi uma entrada em criança, ainda jovem
diria, como já o disse anteriormente, de violação da privacidade das crianças

as testemunhas de jeová não são más pessoas
mas o ambiente de crenças que frequentam é que faz terrivelmente mal
à sua vida social, pessoal
íntima

é que as testemunhas de jeová não são assertivas
 são obssessivas e
simplesmente
não sabem ouvir

 engoliram uma cassete

desmontar essa engranagem demora tempo
anos
vida

deve ser difícil ter uma vida íntima com um uma testemunha de jeová

deve ser difícil ter uma vida íntima com prazer com uma ex-testemunha de jeová
eu não queria

são demasiadas barreiras anti-naturais
semíticas

passados anos
ainda vejo em mim barreiras
hoje já não diariamente
mas por vezes é muito visível
como uma religião e os seus mecanismos de controlo dominam as relações entre as pessoas e a linguagem entre as pessoas
fazendo-as viver num aparente paraíso que na realidade não existe
existe sim apenas um cenário montado
ir e vir ás reuniões
um ritual instituído
culpabilizando os faltosos

julgando permanentemente os outros
achando-me a melhor porque detinha a verdade e a  verdade estava comigo
tretas
punindo os faltosos acusando-os por isto e por aquilo coitados coitadinhos não sabem o que perdem...a vida eterna
olhando de lado os outros inferiores significava sentir-me superior intocável... para aqueles que seguiram outro caminho como se....houvesse no mundo pessoas mais...seguir outro caminho fosse algo impensável, impossível

é preciso coragem sim é preciso coragem para sair das testemunhas de jeová
não digo a coragem de alguém se levantar todas as manhãs e ir para o seu emprego atrravessando o trânsito da cidade
refiro-me à coragem de sair de uma estrutura montada oleada torneada mecanizada
é que as testemunhas de jeová acreditam e defendem o que não existe
não se pode provar a existência futura de um paraíso...
não se mentir
não se enganar
procurar a verdade
é um trabalho de construção diário
de construção da verdade
perante si e daí perante si e os outros
autenticidade
é uma trabalho sério
diário

no circuito das testemunhas de jeová
cada membro é aparentemente livre dentro de uma prisão
dentro de um circuito
dentro de uma obrigação de fazer horas
dentro de uma obrigação...livre
a liberdade é apenas aparente e feita de um enorme ruído
um modo de vida fácil
inconsequente


a vida é difícil
fazer escolhas é complicado
fazer escolhas exige dor
sacrifícios
sofrimento
mas isso é que é a verdadeira vida
aquela vida que é sem rede
é estar presente à vida
cair
e
levantar-se
foi tudo isto que tive de aprender depois de sair das testemunhas de jeová
a ser uma pessoa
era um autómato
seguia um caminho já construído
não a minha vida
é por tudo isto ser o meu sangue a minha experiência que posso dizer
deixem as crianças em paz!
deixem as crianças fazer as suas escolhas!

da minha parte só quero um mundo melhor, melhor do que aquele que encontrei
é nisso que em cada dia penso quando estou perante crianças
um mundo mais justo
mais autêntico
com pessoas mais felizes
mais livres

porque as pessoas felizes amam melhor
porque as pessoas felizes fazem um mundo melhor!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Barbara Anderson faz denuncia de pedófilia nas Tj e é desassociada

http://www.silentlambs.org/andersonlosesappeal.htm

um sentimento para além do pensamento -amar

alguns homens
algumas mulheres
nunca sairam da idade da fralda
já no outro dia escrevi sobre isso
sobre como essas pessoas fazem os outros
com quem mantêm relações afectivas
infelizes
eu já vivi com alguém assim
sei do que falo
sei do que vivi
sei do que aprendi a não querer repetir

a vida ensina-nos a olhar as pessoas
a escolher os amigos
a escolher as relações afectivas
a escolher aquilo que significa
paz
tranquilidade
serenidade

"o bem-estar que está para além de todo o pensamento"

amar

Atenção à navegação

A utilização dos textos deste blog, qualquer que seja o seu fim, em parte ou no seu todo, requer prévio consentimento do autor/a.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Casamento gay: acórdão publicado hoje no Diário da República

O acórdão do Tribunal Constitucional que considera conforme a Constituição o diploma que consagra o casamento entre pessoas do mesmo sexo é hoje publicado em Diário da República.
Em 17 páginas, o Tribunal Constitucional considera que "a extensão do casamento a pessoas do mesmo sexo" não colide com o reconhecimento e proteção da família como "elemento fundamental da sociedade", sublinhando que o casamento é "conceito aberto", que admite diversas conceções políticas.
A proposta de lei que legaliza o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo foi aprovada pela Assembleia da República em votação final global a 11 de fevereiro, com votos favoráveis do PS, BE, PCP e Verdes.
Seis deputados do PSD abstiveram-se. O CDS-PP e a maioria da bancada social democrata votaram contra o diploma, bem como as duas deputadas independentes eleitas pelo PS.
O diploma retira do Código Civil a expressão "de sexo diferente" na definição de casamento.

Público 28 de Abril de 2010

um blog que eu gosto e recomendo com notícias do outro lado do Oceano Atlântico

http://extestemunhasdejeova.blogspot.com/

a verdade liberta

felizmente o tempo da escravatura terminou
hoje não vi testemunhas de jeová
na realidade, as testemunhas de jeová são umas pessoas infelizes,

aliás, pensam que são felizes mas vivem muito limitadas
é uma pena,
em todos os sentidos

só mais uma coizinha
copiaram deste blog 8 mil e tal palavras hoje
8.470 palavras
8 cópias nas últimas 24horas

é muito feio copiar

a verdade liberta

adeus

segunda-feira, 26 de abril de 2010

"o amor não tem fronteiras" dizia alguém hoje, esta tarde

parece um inverno
transformado num verão colorido
as mãos são as mesmas
as que embalam desertos
caminho pela fragilidade do tempo
um mundo é um deserto
que abraço
homens
mulheres
são palavras que o tempo apagou
e me devolveu
com o nome
passado
felizmente
estou viva para dizer
o passado existiu
e hoje a escolha da vida
é minha
presente
vivo o que sei
fazendo de cada dia
um olhar atento
ser melhor pessoa

domingo, 25 de abril de 2010

Manifestações de Ex-Testemunhas de Jeová - 01/12 de abril 2010 em Fortaleza, Brasil

http://www.youtube.com/watch?v=qJbFlprG4Ac

gostaríamos de receber relatos de testemunhas de jeová que são homossexuais e lésbicas

gostaríamos de receber relatos de testemunhas de jeová que são homossexuais e lésbicas, publicaremos de uma forma anónima, confidencial, o material que nos fizerem chegar.
eu acredito que há, testemunhas de jeová, homens e mulheres, homossexuais e lésbicas que pensam, desejam, sonham com, homens e mulheres, ou com ambos.
conte-nos a sua experiência.
divulgaremos de uma forma anónima o seu relato.

sábado, 24 de abril de 2010

as testemunhas de jeová e a idade da fralda

hoje A. ía a sair do supermercado do bairro
saia azul escura casaco castanho
incomodou-se porque não lhe deram a passagem quando saía com os sacos em ambas as mãos

entrei na área do supermercado
lá fora passavam
já as conheço três mulheres ainda jovens mas o peso a mais fá-las mais velhas
eram nove da manhã

a minha mãe hoje a dizer-me que depois de ter ficado doente tinha deixado de ser testemunha de jeová
iupi
tenho que celebrar
finalmente tenho uma mãe saudável
doente e saudável
é bom saber que o equilíbrio é aquilo que sem dúvida fez sentido
passei a gostar de outra forma da minha mãe
a vida transporta surpresas

de regresso das compras
a casa
um conjunto de três homens testemunhas de jeová
com um negro já tinha falado anteriormente
que tinha sido testemunha de jeová
depois um mais novo que talvez me tivesse reconhecido dos meus tempos passados não falou
como a passagem era estreita
o terceiro logo a solicitar uma palavrinha
boas novas
palavras leva-as o vento
porque não vão ajudar as pessoas carenciadas em África
porque estamos aqui
estamos todos fartos de palavras vazias
os hospitais estão com pessoas que precisam de carinho
também há os que fazem isso

depois o mais novo ia chegar-se e talvez dizer deixa-a ela já sabe foi testemunha de jeová
cortei a conversa e avancei no meu caminho

pena é um sentimento terrível
ter pena de alguém
é das piores coisas que existem
mas
não vou dizer
estas pessoas são enganadas pela repetição
e continuava a insistir
coitado é outra coisa terrível
mas esta gente é insuportável
uma vida desbaratada
desperdiçada


conheço também aqueles que apesar de terem abandonado as testemunhas de jeová nunca se separam delas
nota-se pela sua linguagem
eu não gosto de pessoas faz-de-conta
aquelas que querem ainda estar com um pé dentro outro fora
não afirmam que estão fora
são para mim pessoas sem forma
têm medo do pai e da mãe
e não suportam serem  isto ou aquilo assumidos
machistas muitos deles
homens e mulheres
aposto que farão as mulheres/homens com quem casarem infelizes
impositivos
impositivas
do género vê lá se dizes alguma coisa
querem ser importantes
exigem contacto
como uma criança na idade da fralda
inférteis
não tem nada para dar
é fugir deles também
é fugir delas também

ainda
e o A. aquele ancião da minha comissão judicativa que esteve preso e que queria ser advogado barriga grande já o vi algumas vezes a caminhar para a cervejaria anunciada nos mupis de uma avenida principal da capital
nunca o vi ao testemunho

e o outro ancião o L. que era vendedor de carros e agora é vendedor de casas da maior empresa de vendas de casas em Portugal

e, ainda, o outro ancião da comissão judicativa o J. G. também vendia casas na linha de Sintra numa imobiliária

haverá alguma semelhança entre o vender qualquer coisa e o fazer promessas de coisas que aparentemente são uma coisa mas na realidade são outra...?


já não sei quando
a congregação em que eu fui baptizada e publicadora extingiu-se

agora os antigos pertencem a outra congregação

o rebanho é acéfalo

sexta-feira, 23 de abril de 2010

onde está a vida interior das testemunhas de jeová?

ela estava ali a olhar a montra dos sapatos esta manhã
aqui no bairro
conheço-a desde os meus tempos antigos
pertencia a outra congregação
a A. chamo-a assim
olhar sempre triste
agora inchada
gorda
não é velha mas parece ter mais 30 anos pelo menos
não sei se continua casada
provavelmente sim

...
agora faz-me mais confusão estar ligada a alguém só porque se partilha a mesma religião

nunca experimentei
mas imagino que não aguentaria durante muitos anos

a vida ensina-nos tantas coisas
...
outro momento

vi há uns dias atrás
aqui perto
um dos anciões de uma das comissões judicativas
ele a sair do carro
barriga volumosa
recordo
a mulher dele, a A. tinha uns olhos verdes bonitos e uma voz sedutora
e um sorriso malandro

eles nunca se deram bem, era o que diziam na congregação
ele tinha estado preso
ele queria ser advogado
disse-me

viviam vidas separadas

pergunto
-porque permaneceram juntos?
há coisas que me fazem muita confusão...
a mentira faz-me muita confusão

coisas simples
a A.
ela metia-se comigo por causa de um rapaz que achava que nos gostava de ver juntos
sorrio
nunca aconteceu
...
dizia
ele com barriga
sempre a senti uma mulher mal amada
vi-a num dia mais longe
mudou de passeio
não sei se me viu
quando eu era testemunha de jeová gostávamo-nos de nos falar
mas as coisas estúpidas existem
e nunca mais nos falámos
aliás, ela nunca mais me falou
não sei se me evitou desta vez
fica a dúvida
ela está magra
com um ar decrépido
infeliz
velha
velhíssima
...
há relações infeliz
sinto
mesmo quando não nos dizem que há infelicidade

há coisas profundas que não cabem na seita das testemunhas de jeová

tudo é tão anti-natural
e depois ontem também vi a mãe da R.
gorda
penso que nunca voltou a casar
não sei o que é feito da R.
era minha amiga
éramos amigas e sofremos muito quando me dessassociaram
estudávamos na mesma escola secundária
éramos duas adolescentes com imensas dúvidas
éramos muito amigas
eles (elas-crença e prática das testemunhas de jeová) fizeram com que nos separássemos

e também há a P. que estudou comigo na escola secundária
casou, com "um homem rico", "não tem de trabalhar",  teve uma filha, pelo menos, engordou e

a vida destas pessoas é tão previsível
e
banal que chega a ser estúpida
autómatos é o que são
aparentemente seguem um caminho com sentido
e o sentido perde-se
só aparentemente vivem
só aparentemente sentem
mas à vista desarmada só
repetem os mesmos actos, iguais aos de ontem, iguais aos de hoje, iguais aos de amanhã,
e são ausentes de vida própria
diria,
infelizes

quarta-feira, 21 de abril de 2010

a verdade liberta!

aqueles que escrevem contra, contam um conto ensaiado
pena que não pensem que a vida é mais do que o texto que já foi escrito
a vida é mais do que palavras que se decoram como um bolo com receita que há partida sabemos que sairá sempre bem
foi essa a vida que eu tive
com receita
 ia e vinha para a reuniões
era a minha vida
hoje sei que era um ensaio de vida
era uma vida a medo
a medo
sim a medo
-tudo muito previsível
e o previsível é um sofá cómodo
confortável

vivi enganada enquanto
adolescente gostava da agradar à minha mãe
quem não gosta de agradar à sua mãe?

descobri uma nova vida para além da vida plástica que tinha
que tive nas testemunhas de jeová
tinha de facto uma vida artificial
daquelas que não interessa nem ao menino jesus
foi
é assim que eu classifico a minha vida pessoal interior nas testemunhas de jeová
a minha vida interior nas testemunhas de jeová era abafada
simplesmente
não podia existir

mas
e
há sempre um mas
e também um
e
havia uma vida mais plena
interior
uma vida interior
uma via interior
a minha
a minha intimidade
o meu saber
o que eu sou
o que sou diariamente
que o dia-a-dia me puxava para ser
sem medo
concretamente
hoje sou essa vida real
essa vida que tento em cada dia ser igual a mim
uma pessoa melhor

sou grata a Deus pela descoberta.

terça-feira, 20 de abril de 2010

outra, esta manhã, aqui no bairro

esta manhã, cruzei-me com um dueto de duas testemunhas de jeová.
duas mulheres.
passeiam lentamente, com as revistas coladas ao braço e conversavam, diria.

a conversa era sobre o resultado das análises clínicas.
uma fala. a outra escuta.
"olha que a ureia alta significa..."
não!
aí deus!
a ureia alta É...?!

porque é que esta gentinha em vez de andar a dar à língua, sem utilidade nenhuma, apanham frio, calor, chuva e vento e também entopem a paisagem...dizia, porque é que esta gente que é tão interessada na salvação das pessoas,  não presta serviço cívico ajudando os pobrezinhos ou os doentes que vivem no bairro?
e
não tenho nada a ver com isso
mas
há alguém que me responda:
-essa gente vive de quê?

domingo, 11 de abril de 2010

Homossexuais, Lésbicas, Bissexuais, testemunhas de jeová

A propósito da reportagem "Como é ser gay e católico em Portugal" http://publico.pt/1431894 publicada hoje na Pública (revista do Jornal Público), venho aqui deixar uma mensagem para os homossexuais, lésbicas, bissexuais, testemunhas de jeová que nunca é tarde para escolher viver uma vida em liberdade.
A reportagem publicada na Pública é da jornalista Alexandra Lucas Coelho e começa assim "estas histórias falarão por milhares de portugueses: homens e mulheres, catequistas e ex-seminaristas, professores, gestores, artistas. São católicos homossexuais praticantes. Para a doutrina católica oficial, é incompatível. Talvez eles vivam na Igreja do futuro. Mas o preço é alto: silêncio, solidão, sofrimento.

Viver uma vida em liberdade tem o significado de se viver uma vida em consciência de si próprio.
Não há preço para tal liberdade.
Não há preço para a liberdade individual de sentir, pensar, reflectir por si próprio.

algo positivo

Ah!
Alguns dela/es (testemunhas de jeová) da zona em que agora vivo, já sabem onde eu moro (o prédio), portanto, deixaram de bater à minha porta.

"já fiz mais duas horas e meia..."

Estas foram as palavras que ouvi de um jovem menino de uns 11, 12 anos quando me cruzei esta tarde com uma par de testemunhas de jeová.
Passei por eles e senti um desconforto generalizado, a começar no estômago que subiu instantaneamente à cabeça, memórias do meu passado e desceu novamente ao estômago.
Visceral.
Raiva, é o que eu sinto, obviamente, não do jovem inocente, mas da seita das testemunhas de jeová, maligna que instrui tantos jovens, sem autorização e abusando da sua juventude, a serem qualquer coisa sem forma.
Impróprios!
Agora que volto a recordar-me das palavras que aquele jovem proferiu, pergunto-me: o que passará pela cabeça daquele jovem? Quem diz aquilo, o que pensa mais? Quem diz aquilo, o que diz mais que eu não ouvi? O que quererá dizer aquele jovem com "já fiz mais duas horas e meia"? Quererá ganhar mais de um prémio que já tem à partida? Será que pedirá ao pai como recompensa uma nova playstation?
Gostaria que este jovem fosse normal.
Gostaria que este jovem fosse mentalmente são para se libertar futuramente das amarras das coisas ilógicas.
Gostava de acreditar que este jovem é normal, isto é, também joga playstation...
Sinto nojo das doutrinas das testemunhas de jeová e de todos aqueles que nelas participam porque querem ganhar um prémio: " a vida eterna".
Egoístas!
Cínicos!
Interesseiros!
Hipócritas!
Entretanto, vão formando novas fornalhas, as crianças, trata-se de abuso, num conceito!
Abusadores!
Aquela criança a dizer "já fiz mais duas horas e meia", oh! deus, que tiram a autenticidade à vida simples de uma tarde de sol, de um andar, de um viver.
Insensíveis!
Sinto raiva aumentada por saber que tudo o que as testemunhas de jeová ensinam é "uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma".
Maléficos!
As testemunhas de jeová não ensinam nada de novo, nem dão a felicidade a ninguém. 
A chamada escola da vida essa sim, essa é que ensina tudo: o que há de bom e o que há de mau.
Sinto raiva pelas crianças que são treinadas para dizerem discursos ensaboados.
Desgraçadas crianças!
Há coisas horríveis no mundo, há. De facto!
Perversos!
Pervertidos!
Ocorre-me chamar a este episódio mais um momento de atentado à consciência de alguém. Neste caso, é um atentado à consciência de uma criança, de todas as crianças que crescem como crianças nas testemunhas de jeová!
Violentadores!
Violadores de inocentes!
Sinistros!
Doeu-me ouvir aquela criança dizer o que disse.
É uma dor que não passa assim simplesmente.
É uma dor humana.


Lamento profundamente, de alma, neste século XXI e em todos os séculos, em nome de deus, continuar a haver seitas, pessoas, ditas testemunhas de jeová, testemunhas de deus, testemunhas de crimes, pregadoras e promotoras de atentados às consciências de quem não pode ter uma palavra, um atentado contra as crianças, uma escolha, que em nome de deus, que os adultos enganam, violam as consciências das crianças, choca-me no mais íntimo, principalmente, por ver crianças desvirginadas da sua inocência, não lhes sendo dada a possibilidade de escolha, se querem ou não fazer parte da seita, se querem ou não, andar pelas ruas a fazer aquela figura de pessoas crescidas, que não o são! com fatinho e gravata, oh! deus, desgraçadas crianças que são simplesmente violentadas na sua liberdade de escolha.
É um olhar crítico de quem foi testemunha de jeová.
Está tudo dito, não está?!

sábado, 10 de abril de 2010

Uma de duas, uma. Humanidade.

Só se pode viver a favor da verdade ou contra a verdade.
Quem diz, viver a favor da verdade, é o mesmo que dizer, viver o que é a humanidade, o que ser humano representa, aquilo que se baseia na experiência humana, no sensível, no que nos faz ser indivíduos que reflectem e se emocionam.

Só vive aquele que realmente faz do humano, vive o humano, o seu, diário, caminho.

sábado, 3 de abril de 2010

Uma reflexão para quem quiser fazer

Lembrei-me não sei porquê, de deixar aqui um pensamento a propósito do que por vezes se lê ou ouve alguém dizer... encontram-se algumas pessoas, algumas ex-testemunhas de jeová que comentam a homossexualidade, desaprovando-a com tom de ironia e de uma forma jucosa.
Saberam essas pessoas que na maior parte das vezes, quem desdenha quer comprar? Dizendo em português mais-direito-ao-assunto: que aquilo que criticamos nos outros é se calhar aquilo de que temos mais medo de ser?
Uma situação para reflectir, quem quiser, obviamente.
Adeus.

Seguidores

Pictures of Lighthouses

Acerca de mim

desassociada. readmitida. dissociada.